Gestão e o sucesso de uma empresa

Em qualquer empresa séria, todo o planejamento e definição de metas são voltados a melhorias, sejam elas internas ou externas.

Os fatores internos são tudo aquilo que compõe a empresa em sua base: colaboradores, processos, produção, administração, investimento, dentre outros.

Os externos, por sua vez, nada mais são o sucesso de dentro repercutindo do lado de fora. Mas, como assim?

Lembra da Análise Swot? Princípios básicos responsáveis por identificar:

  • Forças: é necessário reconhecer o que a empresa oferece de melhor, como ela utiliza os recursos e qual a sua vantagem em relação à concorrência;
  • Oportunidades: elas dizem respeito à parte externa. Ou seja, tendo controle interno e sabendo das forças, fica mais fácil enxergar as possibilidades do mercado, investimento, captação de clientes e o estudo mais aprofundado da área, por exemplo;
  • Fraquezas: se é importante reconhecer vantagens, as desvantagens também não podem ser ignoradas! Ter ciência do que não funciona internamente é o primeiro passo para evoluir. Portanto, realizar análises frequentes sobre mão de obra e comparações com os concorrentes é fundamental;
  • Ameaças: elas representam os pontos externos negativos à empresa e assim como as oportunidades, têm influência interna e externa. Por sinal, as ameaças impactam diretamente nas possibilidades, então detectá-las é primordial para conseguir elaborar um planejamento perfeito.

Obviamente, as constatações obtidas pela Análise Swot não são repentinas, cabe à empresa e, principalmente à sua gestão realizar esse estudo para que seja possível estar a par dos processos e buscar maneiras de otimizá-los.

O papel da gestão empresarial

Quando se fala em gestão, automaticamente as pessoas tendem a imaginar alguém de terno e gravata mandando e desmandando e focando todo os seus esforços em lucratividade. Entretanto, essa ideia já está defasada há um certo tempo.

A gestão empresarial moderna é fundamentada em desenvolver estratégias para conduzir a organização ao sucesso, atentando-se aos seus três maiores ativos: humanos, financeiros e estruturais.

O gestor está muito além de ser alguém que administra o dinheiro de uma empresa, ele é peça chave para extrair, de todas as pontas, o melhor resultado. E esta tarefa não é nada fácil.

A estruturação do planejamento de gerência trabalha principalmente a gestão pessoal. Assunto em alta no mercado atual, ‘gerir pessoas’ tem se mostrado um grande diferencial às empresas.

Melhor dizendo, oferecê-las condições excelentes de trabalho, prepará-las e ainda proporcionar um ambiente de trabalho satisfatório, consequentemente resultará no crescimento dos resultados de toda a equipe, levando a empresa ao sucesso.

A gestão empresarial não visa o lucro a todo instante e tampouco é gananciosa. Na verdade, ela entende que isso nada mais é que a consequência de bons resultados. A função mais importante aqui é simples: oferecer o melhor à empresa de acordo com seus recursos capitais.

Conhecer a realidade da empresa é imprescindível para desenvolvê-la. Afinal, é preciso saber onde se está, para onde ir e como chegar. Não é mesmo?

As evoluções da gestão têm trazido inúmeros benefícios às empresas e diante desse contexto, a ideia de cultura empresarial tem sido levada em consideração como algo que ultrapassa os meros ‘códigos de ética’.

Cultura empresarial

Ambas caminham juntas e antes de tudo é necessário reforçar que: a cultura empresarial é uma filosofia voltada à gestão!

A cultura dentro das empresas tem a missão de garantir o alinhamento entre todas as áreas (isso é gestão) para que gestores e colaboradores saibam o que e o porquê fazem e assim busquem atingir seus objetivos!

A cultura empresarial existe para gerar identificação e vai além das regras. Pense em uma sociedade, seus costumes e normas: todos esses elementos fluem naturalmente, simplesmente porque acham aquele comportamento ideal, concorda? Então, essa é a ideia, só que dentro de uma empresa.

No Brasil, existem organizações que possuem uma cultura empresarial ‘modelo’, caso do Grupo Ideal Trends.

O Grupo Ideal Trends é composto por 21 empresas de diversos segmentos, de marketing digital à saúde e conta com uma gestão horizontal baseada em uma cultura de princípios.

No Grupo Ideal Trends, a cultura foi idealizada pelo seu CEO e faz parte do convívio de todos espontaneamente, servindo de ‘norte’ para a tomada de decisões e comportamento dos integrantes.

Os princípios de gestão e cultura do Grupo Ideal Trends.

O sucesso

A gestão, quando desempenha sua função com excelência, eleva o patamar da empresa, pois é a peça principal para extrair o melhor dela, independente de sua área de atuação ou status que possui.

Organizar a rotina, definir metas e objetivos, reduzir custos, motivar pessoas e garantir um ambiente altamente produtivo é o que a gestão pode assegurar a uma empresa e, se esses fatores são cruciais para obter sucesso, é a gestão quem pode torná-lo realidade.

Conheça os canais do Grupo Ideal Trends: Site, Facebook, Instagram e Youtube.