Atribuições do Gestor

Cenário

Numa avaliação de desempenho, geralmente os gestores não são os profissionais que recebem as melhores avaliações. O motivo é porque usualmente eles “se tornam” gestores sem nunca terem sido preparados para a função.

Uma situação corriqueira nas empresas é que um excelente técnico de uma área seja promovido a Coordenador ou Supervisor da própria área quando a posição fica vaga. Geralmente a empresa inteira aprova a promoção, pois afinal ele é um ótimo profissional. O problema que muitas vezes ocorre, e somente é descoberto após alguns meses, é que com essa promoção a empresa ganhou um péssimo gestor e perdeu um excelente técnico.

Graças a esse gap comumente existente na formação dos gestores, o treinamento “Desenvolvimento e Capacitação de Gestores Continuado” tem sido buscado com grande frequência pelas organizações, sendo o treinamento mais realizado pela Ohl Braga nos últimos anos.

Atribuições dos Gestores

Elencamos a seguir algumas das principais atribuições:

  • Metas – definir as metas de cada profissional da sua equipe, alinhadas com os objetivos da área e estratégias da organização.
  • Acompanhamento – gerenciar o desenvolvimento dos trabalhos de cada liderado, acompanhando a sua atuação e apoiando os trabalhos de modo eficaz.
  • Resultados – saber cobrar de cada liderado os resultados esperados das suas respectivas metas.
  • Organizar – organizar os trabalhos da área, buscando otimizar a utilização dos recursos humanos, físicos e materiais disponíveis, de modo a maximizar a produtividade e atingir melhores resultados.
  • Alinhamento da atuação – procurar alinhar as expectativas e atuação dos membros da equipe com os objetivos da organização e da área.
  • Delegar – saber delegar atribuições, metas e responsabilidades aos liderados, de acordo com o nível de maturidade de cada um. Importante: delegar não é sinônimo de “delargar”.
  • Motivação – buscar obter o comprometimento e motivação da equipe, levando a equipe a vencer os desafios e superar as metas propostas.
  • Reconhecimento – reconhecer e fazer elogios frequentes quando os liderados atingem as metas estabelecidas ou apresentam bom desempenho.
  • Equipe – buscar integrar os membros da equipe, gerenciando eventuais conflitos e obtendo uma atuação conjunta e integrada de todos, transformando a área num time.
  • Feedback (dar) – saber dar feedbacks críticos, honestos e frequentes aos liderados sobre o seu desempenho, indicando pontos a melhorar e reconhecendo sua evolução.
  • Avaliação – avaliar com frequência o desempenho dos seus liderados, orientando sua atuação de modo a atingir o máximo desempenho possível.
  • Desenvolvimento profissional – procurar incentivar o autodesenvolvimento dos liderados, promovendo e apoiando as ações de desenvolvimento. Analisar cada liderado e determinar as ações do PDI (Plano de Desenvolvimento Individual), procurando melhor preparar o profissional para a função que exerce, sempre com foco no negócio e necessidades da empresa.
  • Feedback (receber) – saber se portar de maneira assertiva ao receber feedbacks dos seus liderados, analisando as situações e tomando ações corretivas quando necessárias.
  • Carreira – estimular os liderados a se desenvolver, dando sugestões para que orientem suas carreiras de modo que possam vir a ocupar melhores posições na organização.
  • Sucessores – identificar e preparar sucessores para a própria posição e outras posições críticas ou estratégicas na equipe.

Estas não são, obviamente, as únicas atribuições dos gestores. São as mais importantes e frequentemente buscadas; uma análise detalhada  apontará outras.

Mauro Braga
Engenheiro, Consultor empresarial e mentor do Sistema RH1000